Visitei várias cidades da bela Toscana, na Itália, em 2013, e vou, então, tentar compartilhar um pouco dessa viagem. Começarei descrevendo minha experiência em Florença com uma primeira dica para quem chegar de carro: tenha muito cuidado, já que em quase todo o perímetro urbano de várias cidades italianas – e não é diferente em Florença – é proibido o trânsito, e até o estacionamento, de carros de não locais, logo, procure um lugar garantido e fuja das altas multas cobradas.

Vista de Florença, com a Ponte Vecchio e o Rio Arno.

Foto do site: https://blogandarilho.com.br/lugares/europa/florenca-turista-pode-levar-multa-de-ate-500-euros-por-sentar-e-comer-nas-ruas/.

Quase sempre tenho vontade de voltar aos mesmos lugares que conheço em minhas viagens, seja por um detalhe, por uma visita, por um restaurante, por uma acolhida, por um museu ou por uma paixão. Florença é bem bonita, gostei, mas, sinceramente, não tenho planos de voltar. Não quero dizer que a cidade  não mereça uma visita, vale a pena conhecê-la. Vá e tire a sua conclusão.

Florença já era uma grande cidade europeia quando a família Médici chegou ao poder no séc. XV. Composta por ricos comerciantes e banqueiros, eles financiaram artistas como Michelangelo, Leonardo da Vinci e Botticelli, entre outros. A família Médici ficou no poder até o séc. XVII. Caso você queira conhecer um pouco mais sobre os famosos artistas florentinos, eu indico a seguinte postagem: https://www.360meridianos.com/especial/celebridades-florenca.

Rio Arno e Florença

Você até poderá achar estranho, mas minha segunda dica para quem tiver pouco tempo em Florença é a de não visitar o Museu-Galleria degli Uffizi, pois mesmo que tenha salas dedicadas aos maiores artistas do Renascimento, como Leonardo da Vinci, Rafael e Botticelli, é um museu um pouco confuso, onde você fica preso à rota que lhe é imposta. Então, para ver as melhores obras, é preciso cumprir uma via-crúcis enorme, passando por peças inexpressivas. Eu fui e senti que me cansei muito para ver poucas belas obras. E ainda serei sincero: vi o Nascimento de Vênus de Botticelli, mas não me recordo da emoção.

O Nascimento de Vênus, de Sandro Botticelli, na Galleria degli Uffizi.

A Galleria degli Uffizi foi fundada por Francisco I de Médici, em 1581, para reunir sua coleção de obras de arte, entretanto a construção foi iniciada por ordem do duque Cosme I de Médici, em 1560. Do lado de fora, rodeando o belo prédio, encontram-se várias estátuas de italianos famosos.

Belo prédio da Galleria degli Uffizi, fundada por Francisco I de Médici, em 1581.

Foto do site: https://www.visituffizi.org/it/2444-giornate-gratuite-per-tutti-in-questi-giorni-del-2019/.

A Piazza della Signoria é o melhor lugar para você tirar muitas fotos, pois é onde irá encontrar réplicas de obras de famosos artistas renascentistas italianos, como “David”, de Michelangelo, e “Hércules e Caco”, de Bandinelli. Importantes e belas são as várias estátuas que se encontram na Loggia dei Lanzi, que fica numa das laterais da Piazza della Signoria.

David
Loggia dei Lanzi.
Hércules e Caco

Na praça se destaca um belo prédio, um grandioso palácio gótico que começou a ser construído no fim do século XIII, a partir de um projeto do arquiteto italiano Arnolfo di Cambio, para ser sede do governo florentino. O nome atual – Palazzo Vecchio (Palácio Velho) – deve-se ao fato de a família Médici tê-lo deixado como moradia e passado a ocupar um novo palácio: o Palazzo Pitti, que se localiza do outro lado do rio Arno, após cruzar a bela e interessante Ponte Vecchio.

A Ponte Vecchio e o Rio Arno num dia de inverno.

O Palazzo Vecchio é ocupado pela Prefeitura de Florença e parte dele por um museu que ainda guarda alguns mistérios e beleza e é aberto para visitas que duram em torno de uma hora e meia. Caso tenha interesse, consulte o site oficial: http://museicivicifiorentini.comune.fi.it/en/palazzovecchio/informazioni.html.

Palazzo Vecchio na Piazza della Signoria repleta de turistas.

Uma curiosidade pouco conhecida dos visitantes de Florença é a existência do Corredor Vasari. Um trabalho interessante que conecta o Palazzo Vecchio a Galeria degli Uffizie depois continua passando por cima da Ponte Vecchio até chegar ao Palazzo Pitti e tem cerca de um quilômetro de comprimento. Foi encomendado pelo duque Cosme I de Médici e construído por Georgio Vasari em meados do séc. XVI para que os nobres florentinos e a família Médici fizessem todo esse caminho sem ter que andar junto aos plebeus.

O Corredor Vasari encontra-se à esquerda na parte superior da arcada, na saída da Ponte Vecchio, na Via de’Bardi.

Para concluir minhas indicações de Florença, é imperdível a visita à Catedral de Santa Maria del Fiore, conhecida como a Catedral de Florença, a maior igreja da cidade e quase sempre o seu cartão postal. Começou a ser erguida no ano de 1296 e é considerado um dos maiores templos do Cristianismo. Muitos pesquisadores consideram que a Catedral, bastante suntuosa e cheia de detalhes em toda a sua fachada, foi projetada pelo arquiteto italiano Arnolfo di Cambio, o mesmo artista que construiu o Palazzo Vecchio.

A Catedral de Santa Maria del Fiore.

Foto do site: https://www.culturagenial.com/igreja-de-santa-maria-del-fiore/.

Um dos elementos que mais chama atenção na obra é a presença do impressionante e inovador Duomo, de autoria de Filippo Brunelleschi. A Catedral de Santa Maria del Fiore é uma das maiores obras góticas do mundo, entretanto possui uma série de influências de outros estilos que retratam os períodos históricos pelos quais passaram a Catedral, assim como a bela Florença. Na mesma praça que fica a Catedral estão também a Torre de Giotto e o Batistério, com suas incríveis portas que são verdadeiras obras de arte. Todo o complexo é um patrimônio mundial da Unesco. Um mesmo ticket lhe dá o direito de subir no alto da torre e visitar o Duomo.

Detalhes e porta principal de entrada da Catedral de Santa Maria del Fiore.

Indico também um ponto que poucos optam visitar, talvez por desconhecerem ou por ele se localizar mais distante de pontos badalados da cidade: a Galleria dell’Accademia, que acho imperdível por abrigar a estátua original de David, a grande obra de Michelangelo. Eu, particularmente, adorei esse museu, pois fiquei encantado com todas as explicações sobre o processo de confecção de David, além de que somente na Galleria della’Accademia você percebe toda a perfeição, beleza, plasticidade e leveza que possui essa obra.

Perfeição de David.
Beleza de David.
Plasticidade de David.
Leveza de David.

Como de costume, tento conversar com os imigrantes que vivem em diferentes cidades da Europa, e em Florença não foi diferente. Fui conhecer a Piazza del Mercato Nuovo, que foi construído no séc. XVI em substituição ao antigo mercado da feira medieval. Hoje, o Mercato Nuovo é ocupado por um enorme comércio de produtos de couro italiano. Comprei alguns presentes e tive o prazer de ver, pela primeira vez, um rapaz afegão, que trabalhava numa das barracas de bolsas e mochilas. Num primeiro momento ele ficou sem jeito de responder perguntas, mas, aos poucos, foi se soltando e aceitou até mesmo tirar uma fotografia. Fiquei bastante feliz pela foto, mas me emocionei quando ele relatou a situação difícil em que ainda viviam muitos dos seus familiares no Afeganistão.

Comércio de produtos de couro da Piazza del Mercatto Nuovo.
Rapaz do Afeganistão que trabalhava numa das barracas de bolsas e mochilas de couro em Florença.
Mais um pouco dos produtos de couro italiano.

Bem na Piazza del Mercato Nuovo fica uma curiosa estátua de javali, conhecida como “Il Porcellino”. A superstição desde o séc. XVIII garante que quem passa a mão no focinho dele voltará a Florença em alguma ocasião. Eu não passei. Mas o melhor é que se você colocar uma moeda na boca do javali e ela cair na fonte significa que estará carregado de boa sorte. A estátua já está com o focinho bastante desgastado de tantos visitantes passarem a mão nela.  

A estátua do javali Il Porcelino, de Florença.

Foto do site: https://www.flickr.com/photos/eliasroviello/33116761516.

O contato, não somente com o afegão, mas com outros imigrantes no Mercato Nuovo, sempre é, para mim, algo indescritível. E o melhor foi sentir que estavam felizes vivendo em Florença. Fico emocionado! Isso é um pouco de Florença! Eu estou voltando à Toscana, mas não tenho planos de ir a Florença, mas, se você me convidar, quem sabe eu volto?

*A foto do carrossel foi retirada do site: https://blogandarilho.com.br/lugares/europa/florenca-turista-pode-levar-multa-de-ate-500-euros-por-sentar-e-comer-nas-ruas/

Compartilhe com os seus amigos.
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Share on LinkedIn
Linkedin
Print this page
Print

21 thoughts on “Florença – O centro do Renascimento”

    1. Hélida, eu espero que tenha viajado na minha viagem. Faço toda a descrição com muito carinho para levar a emoção aos meus seguidores. Obrigado.

    1. Querida Maria Madeira, espero sinceramente que você tenha gostado do post sobre Florença. Minha descrição é feita para levar a emoção aos meus seguidores. Obrigado…

  1. Espero que tenha viajado na minha viagem. Faço toda a descrição com muito carinho para levar a emoção aos meus seguidores. O próximo post vai ser uma grande surpresa. Aguarde.. .

  2. Ronaldo,
    Que viagem deliciosa.Esqueci que estava em quarentena,e,por algum tempo, conheci lugares incríveis de Florença.
    Obrigada por nos proporcionar tanta beleza e cultura.

    1. Como não consegui acertar, aqui vai a minha resposta. Querida amiga Tânia, espero que tenha viajado na minha viagem. Faço toda a descrição com muito carinho para levar a emoção aos meus seguidores. O próximo post vai ser uma grande surpresa. Aguarde.. .

  3. Parabéns pelo blog. Realmente desperta a curiosidade e a vontade de viajar e conhecer outros países. Vou continuar visitando por aqui e anotando as dicas.

    1. Querido amigo João, espero sinceramente que você tenha gostado do post sobre Florença. Minha descrição é feita para levar a emoção aos meus seguidores. Obrigado…

  4. Os detalhes das esculturas são impressionantes.
    A arquitetura da Catedral é linda.
    Um passeio inesquecível para quem gosta de belas paisagens.

    Parabéns ao blog pelo texto e pelas fotos belíssimas.

    Abraços!!!

    1. Querida amiga Valéria, espero que tenha viajado na minha viagem. Minhas descrições são feitas para levar a emoção aos meus seguidores. O próximo post vai ser uma grande surpresa. Aguarde..

  5. Florença vale muito por andar na rua, vendo belas esculturas, prédios e igrejas. Amei Galeria D’ Academia, ver Davi é realizar um sonho, interessante TB é saber sobre a família Medici, q promoveu tantos artistas maravilhosos.

    1. Querida amiga e professora de Geografia, agradeço suas palavras. Que bom que você gostou do texto por mim proposto.

    1. Querido amigo Reinaldo, espero que tenha viajado na minha viagem. Minhas descrições são feitas para levar a emoção aos meus seguidores. O próximo post vai ser uma grande surpresa. Aguarde..

Deixe uma resposta