Para se ter uma visão panorâmica do Rike Park, do rio Kura, da Ponte da Paz e muito mais, o melhor a fazer é chegar até o Forte Narikala. Após a visita na região das casas de banho, iniciei uma caminhada leve através da Cidade Velha de Tbilisi para me levar ao forte, pegando então a Botanikuri Street.

O Forte Narikala iluminado, com destaque para a igreja ortodoxa de São Nicolau.

Antes de chegar ao destino, entrei por uma rua à esquerda que me levou até a cachoeira Leghvtakhevi, mas se você quiser também pode caminhar por várias pontes no rio e chegar à cachoeira.

A cachoeira Leghvtakhevi.

As águas caem de um ponto bem alto e você fica cercado por um íngreme desfiladeiro. Na parte mais alta, olhando para cima, vê-se prédios antigos e suas lindas varandas de madeira, como se fossem arranha-céus. É algo bem agradável de se ver, o lugar é muito bonito e todos ficam surpresos ao vislumbrar uma cachoeira rodeada por bela arquitetura georgiana.

O caminho, o desfiladeiro e os belos edifícios de arquitetura georgiana, próximos à cachoeira Leghvtakhevi.

Feliz, continuei minha caminhada em direção ao Forte Narikala. Cheguei inicialmente onde se encontra a Igreja ortodoxa de São Nicolau, já na região fortificada. A vista é algo deslumbrante.

O Forte Narikala, com destaque para a Igreja ortodoxa de São Nicolau.

O Forte Narikala fica no alto de uma colina. É uma cidadela amuralhada de origem persa, e realmente possui uma vista incrível da cidade, onde, com certeza, você sente toda a sua beleza. Fiquei encantado! Tbilisi é um sonho. É uma cidade para desfrutar com tranquilidade. Você também pode ter acesso ao forte pelo teleférico que sai do Rike Park, que foi minha opção para descer.

A Igreja de Metekhi e a estátua do Rei Vakhtang I, Rei da Ibéria, à beira do Rio Kura.

Após chegar à praça, dirigi-me à Igreja de Metekhi, igreja ortodoxa georgiana localizada na margem esquerda do rio Kura, no penhasco de Metekhi, no bairro de Avlabari, em frente à Cidade Velha. Informações bem desencontradas datam que a construção e depois a inauguração da igreja variam entre os sécs. V e VI. Ao lado da igreja encontra-se uma bela estátua do Rei Vakhtang I, Rei da Ibéria, monarca que fundou a cidade de Tbilisi no século V d.C.

Estátua do Rei Vakhtang I, monarca que fundou a cidade de Tbilisi.

Foto do site: https://images.app.goo.gl/xmBhuQQtKB1zCruf6

Depois do almoço, fui caminhando em direção ao Teatro de Marionetes Rezo Gabriadze, para vê-lo com o seu belo relógio dourado. Esse teatro é um ponto turístico na cidade de Tbilisi, já que da torre do relógio sai, a cada hora, um boneco do seu topo. Isso faz com que vários turistas e mesmo moradores da cidade fiquem ansiosos, à frente da torre, à espera do momento. É interessante e vale a visita.

Teatro de Marionetes Rezo Gabriadze e sua torre do relógio.

Próximo ao teatro, encontrei uma linda e antiga fonte de água, com a cuba da pia lindamente decorada. Eu achei bela e bem diferente. Ao caminhar por essa região da cidade, percebe-se claramente a força da religião ortodoxa na Geórgia, com a presença de várias igrejas, algumas bem antigas, outras pequenas e mesmo a sede do Patriarcado da Igreja Ortodoxa. O georgiano é muito religioso, além de ser bem hospitaleiro.

Dentre as igrejas, destacam-se a Catedral de Sioni, construída entre os sécs. VI e VII; a Basílica de Anchiskhati; e a Jvaris Mama Church. Esta última me deixou bastante impressionado, pois se encontra no local onde outra, bem mais antiga, havia sido construída no séc. V, sendo que a atual data do séc. XVI e está em franco processo de deterioração e desgaste de quase toda a sua estrutura externa. Não consegui saber ou entender os motivos desse processo, mas mesmo assim vale uma entrada para apreciar o seu interior coberto de impressionantes afrescos vermelhos, dourados e azuis. Veja a interessante galeria de fotos do interior da igreja Jvaris Mama Church: https://www.tripadvisor.de/Attraction_Review-g294195-d12097344-Reviews-Jvaris_Mama-Tbilisi.html.

Catedral de Sioni.

Para concluir, vou relatar um momento de grande emoção e felicidade que me ocorreu em Tbilisi, assim como em outras partes da Geórgia. Já era a terceira noite na capital e eu já havia visto como a cidade se põe linda toda iluminada. Então, em torno das 21h, voltei ao restaurante Dr. Benjamen, na Metekhi Rise, 11, por ele ter uma linda sacada e uma vista maravilhosa para o rio Kura e o Forte Narikala. Ao casal, que já me conhecia, informei que retornei para tirar fotos do forte iluminado (foto do início). Sentei-me e comecei a chorar copiosamente, num êxtase de alegria, emoção e sentimento de felicidade por estar na Geórgia.

O momento para mim foi indescritível e o melhor foi à solicitude do casal, que, logo, preocupado com minha emoção, trouxe um lenço e água. Fiquei mais emocionado!!! Isso é a Geórgia! E ainda tem o melhor: é um destino economicamente bem barato. Vamos?

Compartilhe com os seus amigos.
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Share on LinkedIn
Linkedin
Print this page
Print

One thought on “

Tbilisi – O Forte Narikala defende a cidade”

  1. Que relato primoroso da Georgia, pais que nunca me passou pela cabeça conhecer e que, agora, está em primeiro lugar nos meus planos de viagem. A arquitetura parece encantadora, e o desenho urbano convidativo e acolhedor. Assim deve ser o seu povo também. Muito interesse em conhecer essa terra.

Gostou? Deixe o seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *