Paris é, sem sombra de dúvida, para mim, a cidade mais linda do mundo. Em 1995, quando estive lá pela primeira vez, fui arrebatado por uma paixão fulminante. Eu não tinha ideia de quão esplendorosa era Paris, e naquele momento o impacto foi enorme! Cheguei de Roma muito cansado e fui direto para o hotel, que se localizava próximo à Gare de Lyon, região leste da cidade. Naquele início de anoitecer, no verão, a guia propôs ao grupo um passeio de ônibus até a loja de departamentos “Carrousel du Louvre”, na rue de Rivoli.

A Fontaine des Mers e a dança das águas na Place de la Concorde.
A Fontaine des Mers e a dança das águas na Place de la Concorde.

Foto do site: http://yvonne92110.centerblog.net/14175-la-place-de-la-concorde-a-paris-la-nuit

Igreja de Madeleine.
Obelisco da Place Vendôme.
Obelisco da Place Vendôme.
Place de la Concorde e a Fontaine des Mers.

O roteiro do ônibus foi fantástico, saímos da rue de Rivoli, na lateral norte do Museu do Louvre, em direção à Place de la Concorde. Eu, bem posicionado no lado direito do ônibus, comecei a ficar extasiado com tudo o que via: o obelisco da Place Vendôme, as lindas colunas coríntias de 20 metros de altura da bela fachada da Igreja de Madeleine e, quando o ônibus se aproximou da iluminada Place de la Concorde, as águas da bela Fontaine des Mers faziam uma linda dança perto do Obélisque de Louxor, que se destacava na praça. Ao longe pude ver a Torre Eiffel, que parecia piscar somente para mim. Emoção pura, soluço, alegria e uma sensação de bem estar inexplicável. Paris transforma as pessoas!

A Torre Eiffel, a Ponte Alexandre III e o Rio Sena.

Foto do site: https://www.ischooladvisor.com/blog/view/the-20-best-loved-international-schools-in-paris

Detalhe da Ponte Alexandre III.
Estátua dourada da Ponte Alexandre III.
Museu do Louvre.

A sensação foi incrível, pensei que Paris era minha e eu estava sendo atraído por ela numa força rara. Senti que tudo aquilo que eu acabara de ver fora preparado para meu deleite e felicidade, tudo era extasiante, não me contive de tamanha emoção. Assim é Paris!!! Mas ainda teve mais, pois o roteiro não havia terminado, o ônibus passou bem em frente da Avenue des Champs-Élysées e, ao fundo, o Arco do Triomphe resplandecia.

Avenue des Champs-Élysées e, ao fundo, o Arc do Triomphe.

E quem não conhece Paris, será que consegue ter ideia de como tudo lá é magnífico?

Continuando o roteiro, o ônibus contornou a Place de la Concorde, quando olhei para esquerda e vi o Jardin des Tuileries, de onde se pode ver o Museu do Louvre e sua pirâmide.

Lindo carrossel no Jardin des Tuileries, após um dia de chuva.

Esse momento foi rápido, mas ainda consegui ver, do lado direito, a mais linda ponte de Paris, a Ponte Alexandre III, com suas belas estátuas douradas. Logo viramos à esquerda, na avenida que margeia o Rio Sena, e a beleza de conjuntos arquitetônicos do outro lado do rio, como a Assembleia Nacional e o Museu D’Orsay eram hipnotizantes. Assim, Paris era minha e até hoje a amo intensamente como a nenhuma outra cidade que conheço.

Vista desde o Museu D’Orsay, com o Rio Sena e à direita a Ponte Royal e o Museu do Louvre num dia nublado.

Neste texto não vou me alongar em descrições e detalhes da cidade, pois quis apenas ressaltar como começou minha paixão por essa linda e especial cidade. Foi amor à primeira vista, e as imagens que descrevi para você ainda se encontram guardadas em minha memória. Paris tem essa força magnética para com vários viajantes, e comigo não foi diferente.

Como já relatei anteriormente, já estive em Paris por sete vezes e sempre há algo novo e impactante para se conhecer e ficar inebriado. Por exemplo, somente em 2018, na minha última viagem a Paris, é que eu tive o prazer de visitar algumas passagens ou galerias. A Galerie Vivienne é, em particular, maravilhosa, e torna-se imperdível uma visita. Essa viagem foi após o período de Natal de 2017, sendo assim, as galerias estavam lindamente decoradas para as festividades natalinas. Um esplendor!!!

Galerie Vivienne, localizada na Rue de la Banque, nº 5.

Para concluir, vou relatar algo muito interessante que aconteceu na Galerie Vivienne, para que cada um possa repensar o preconceito contra uma certa sisudez dos franceses. Eu e meu amigo João estávamos maravilhados com a loja nº 54 de Martine Rama (encadrement d’art), que vende lindas miniaturas de cartolina colorida representando diferentes pontos de Paris. Dirigi-me, em francês, à Madame Rama e lhe disse que iríamos olhar detalhadamente as miniaturas. Eu e meu amigo, dentro da loja, falávamos de nosso impacto e espanto com a delicadeza do trabalho.

Loja de Martine Rama (encadrement d’art), da Galerie Vivienne.

Escolhemos nossas miniaturas – eu comprei duas para mim e uma para presentear – e, então, Madame Rama, com toda a sua espontaneidade, nos fez um pedido: se poderíamos continuar a conversar em português, pois ela adorava a sonoridade de nossa língua e amava ouvir brasileiros falando o português, pois, segundo ela, nossa fala é muito musical e agradável. Expliquei ao João o que ela queria, ficamos um pouco sem graça, mas atendemos à solicitação da educada francesa. Não tenho certeza se ela ainda possui a loja na galeria, pois à época nos informou que tinha vontade de fechá-la.

Mais um pouco da encantadora Galerie Vivienne.

Veja que eu já tinha ido seis vezes a Paris e não havia conhecido as galerias da cidade. Garanto que me emocionei ao passear por elas tanto quanto na minha primeira viagem àquela bela cidade. E é assim que o meu amor por Paris só aumenta. Conheço amigos que dizem que não gostam tanto de Paris, mas mesmo assim ainda acredito que existam mais viajantes que a amam do que odeiam.

Desejo apresentar uma Paris pouco conhecida, então uma próxima postagem será sobre os microdistritos interessantes, como, por exemplo, “La Petite Alsace” – A Pequena Alsácia, que fica na rue Daviel, no 13º arrondissement.

La Petite Alsace.

Paris não adormece. Que tal foi saber os motivos pelos quais eu amo essa linda cidade? Eu já fui sete vezes a Paris e desejo retornar novamente. Paris é cara, mas vale o preço que se paga. Vamos?

*A foto do carrossel foi retirada do site besthqwallpapers.

*A imagem destacada como foto principal foi retirada do site: https://br.freepik.com/fotos-gratis/fonte-famosa-em-paris_1064925.htm

Compartilhe com os seus amigos.
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Share on LinkedIn
Linkedin
Print this page
Print

7 thoughts on “

Paris – Amor à primeira vista”

  1. Tive a sorte de ir à Paris com suas preciosas indicações. Obrigada!
    Super indico à todos os viajantes que antes estudem o “Novos Territórios” para garantirem uma experiência mais completa.

  2. Não conheço a Galeria Vivienne, fica p/ próxima ida a Paris, TB amo Paris.
    Vc já foi a Giverni? Imperdível.

    1. Realmente eu nunca fui a Giverny. Paris é linda realmente….. Já tenho outro post pronto para publicar a qualquer momento.

  3. Paris já fora escrita inúmeras vezes , mas dessa forma nunca tinha visto . Que lindo! Emocionante! Para acalentar o coração nessa quarentena.

    1. Obrigado minha afilhada por ter gostado da descrição de Paris. Tenho outro post pronto para publicar a qualquer momento.

Gostou? Deixe o seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *