Paris é inegável, para mim, é a cidade mais linda do mundo. Minha primeira vez em Paris foi em 1995 e logo fui arrebatado por uma paixão fulminante. Eu não tinha ideia de como Paris era encantadora. Cheguei de Roma e fui para o hotel, que se localizava próximo à Place de la Bastille, região leste da cidade. Após breve descanso, a guia propôs levar o grupo para um reconhecimento da cidade. Começava a anoitecer e era verão.

A Torre Eiffel, a Ponte Alexandre III e o Rio Sena.

Foto do site: https://www.ischooladvisor.com/blog/view/the-20-best-loved-international-schools-in-paris

O roteiro foi fantástico, passamos pela rue de Rivoli, lateral norte do Museu do Louvre, em direção à Place de la Concorde. No lado direito do ônibus comecei a ficar extasiado com tudo que via: o obelisco da Place Vendôme, as colunas coríntias da Igreja de Madeleine, a iluminada Place de la Concorde, a dança das águas da Fontaine des Mers, o Obélisque de Louxor, a Tour Eiffel e Paris…. Tudo já foi descrito num post anterior. Emoção pura, alegria e uma sensação de bem estar inexplicável. Paris transforma as pessoas!

A Fontaine des Mers e a dança das águas na Place de la Concorde.

Foto do site: http://www.hdfondos.org/ciudades/zona-central-de-paris-fuente-de-los-mares.html

Neste texto não me alongarei em descrições e detalhes da cidade, pois pretendo ressaltar um dos bairros que gosto muito e tenho o imenso prazer de conhecer. Das sete vezes que estive em Paris, creio que em quase todas visitei Auteuil (como pronunciar – https://forvo.com/word/auteuil/). E garanto que me emocionei tanto na última quanto na primeira. E é assim que o meu amor por Paris só aumenta.

Confeitaria de Auteuil.
Igreja de Auteuil.
Bar de Auteuil.
Rua Pierre Guérin, em Auteuil.

Se Paris é uma grande vila, o bairro de Auteuil acaba sendo uma aldeia dentro dessa enorme vila reluzente. Existem outras aldeias que também me agradam muito, mas essa me toca de uma forma diferente. Não faz muito tempo, Auteuil, uma encantadora vila a oeste de Paris, era um destino de férias, um local para fazer uma pausa no campo, lugar de refúgio de escritores e artistas que buscavam um ar campestre dentro da esfuziante Paris.

A Villa Montmorency, com mansões construídas em 1860. A entrada é na rue Poussin em Auteuil. Moradores ilustres: Victor Hugo, Sarah Bernhardt, Isabelle Adjani e o jogador Thiago Silva.

Mesmo que não seja relevante citar franceses que mantiveram laços com o bairro de Auteuil, destaco os escritores Nicolas Boileau (A Arte Poética), Marcel Proust (Em Busca do Tempo Perdido) e Jean de La Fontaine (fábulas infantis de La Fontaine). Boileau viveu 24 anos na casa 26 da rue Boileau; Proust nasceu e viveu até os nove anos na rue Jean de La Fontaine, nº 96; e o escritor das famosas fábulas “La Fontaine” frequentava, com Molière, Racine e Boileau, o café literário Mouton Blanc, na rue d’Auteuil, nº 40. Racine também morou em Auteuil. A atriz Juliette Drouet, amante por 50 anos de Victor Hugo, viveu toda a sua vida na rue Jean de La Fontaine, nº 57.

As fábulas de Jean de la Fontaine.

Auteuil mantém um leve ar de interior, e os moradores passeiam sutilmente por suas ruas, sendo que o destaque do bairro é uma arquitetura arrojada e bastante característica, que a diferencia de grande parte de Paris, pois ali os estilos se traduzem a cada rua e esquina. Por isso me sinto atraído a fazer passeios despreocupados com o tempo, para poder vislumbrar e vivenciar os vários estilos de arquitetura, pois no mesmo bairro temos os estilos Art Nouveau, Art Déco, Beaux Arts, Românico e a Arte Moderna. Nesse sentido Auteuil é incrível!

Edifício no estilo Beaux Arts, na rue Jasmin, nº 6.
Entrada do metrô de Porte d’Auteuil, em estilo Art Noveau.

O termo Art Nouveau é a expressão francesa para “arte nova”. Esse estilo é inspirado principalmente por formas e estruturas naturais, não somente de flores e plantas, mas também de linhas sinuosas. O Art Nouveau foi mais popular na Europa, mas a sua influência foi global. O período em que esteve muito em voga foi chamado de Belle Époque (1870-1914). 

As máximas representações do estilo Art Nouveau estão ali expostas nas belas obras de Hector Guimard, não apenas nas entradas dos metrôs de Porte d’Auteuil ou de Église d’Auteuil, como nas suas mais representativas construções: o “Edifício Jassedé”, na Avenue de Versailles, nº 142, ou o “Castel Béranger”, na rue Jean de La Fontaine, nº 14. Mas um dos mais fabulosos trabalhos de Guimard foi construído entre 1909 e 1912 para ser moradia dele e de sua esposa: o “Hôtel Guimard”, onde ele viveu de 1913 até 1930, e está localizado na Avenue Mozart, nº 122.

O Castel Béranger, típica obra em Art Nouveau, construído entre 1894 e 1898 por Hector Guimard, na rue Jean de La Fontaine.

Foto do site: http://www.wallswithstories.com/uncategorized/castel-beranger-the-first-art-nouveau-building-in-paris.html/attachment/castel-beranger

O casal abandonou a moradia em Auteuil e migrou para Nova York, por temer perseguições no período entre guerras, pois a esposa era judia americana. Após a morte do artista, em 1942, ela retornou a Paris para resolver pendências com as obras do marido, entretanto não conseguiu transformar nenhum dos imóveis em museu. O Hôtel foi vendido e hoje é um edifício de apartamentos. As obras de Hector Guimard expressam a grandiosidade e a força do Art Nouveau em Paris.

Hôtel Guimard, bela obra em Art Nouveau, construída entre 1909 e 1912 por Hector Guimard, na Avenue Mozart.

Talvez para contrapor, ou até mesmo para rivalizar com outros estilos, os artistas do Art Déco construíram obras expressivas em Auteuil, como o “Edifício dos Estúdios” de Henri Sauvage, na rue Jean de La Fontaine, nº 65 e a “Cité de l”Argentine”, que combinava apartamentos e uma galeria comercial, na Avenue Victor Hugo, nº 111. Outros edifícios que representam bem o Art Déco são o 28 da rue Scheffer; o 42 da rue de la Pomp; e o 18 da rue Pierre-Guérin.

O Art Déco surgiu em Paris a partir da década de 1920 e seu nome tem origem na abreviação de Artes Decorativas. Combinando estilos modernistas com habilidade fina e o uso materiais ricos, os arquitetos repensaram os espaços, colocando em suas construções linhas geometrizadas, nova simetria e espaços com maior funcionalidade. Para eles, o estilo Art Déco foi a escolha perfeita. Um grande destaque do estilo Art Déco em Auteuil é a Piscina Molitor, que se localiza na Avenue de la Porte Molitor, nº 8.

A Piscina Molitor, na Avenue de la Porte Molitor, é uma bela obra em Art Déco no bairro de Auteuil.

Foto do site: https://www.bouygues-construction.com/en/our-achievements/molitor-swimming-pool

Com o surgimento da União dos Artistas Modernos e a manutenção da tradicional Sociedade dos Artistas Decorativos, em 1929, na França, o movimento Art Déco se dividiu em duas correntes. Esse rompimento foi o começo do movimento da Arte Moderna em Paris. As casas construídas entre 1927 e 1929 por Mallet-Stevens, no que é hoje a Rue Mallet-Stevens, além da criação de mobiliários usando o aço, ilustram a estética do novo movimento. Essa residência, além da “Casa de Vidro” de Pierre Chareau, são representações expressivas do modernismo em Auteuil e, por consequência, em Paris.

Galerie 54 de Mallet-Stevens, típica obra da Arte Moderna, na rue Mallet-Stevens, nº 10 em Auteuil.

Foi também em Auteuil que, a partir de 1923, começaram a surgir trabalhos do renomado modernista francês Le Corbusier, codinome que assumiu e com o qual ficou conhecido mundialmente. A construção de sua casa, aos 18 anos, em sua terra natal, marcou o início da carreira desse grande arquiteto. O “Studio de apartamentos”, na rue Nungesser et Coli, nº 24; a Villa La Roche; e a Mansão Jeanneret, na Square du Dr. Blanche, nº 8 e 10 são obras arquitetônicas bastante visitadas em Auteuil, todas de Le Corbusier.

Fundação Le Corbusier e a Villa La Roche, em Auteuil, obra da Arte Moderna.

Por isso tudo, Auteuil é um bairro que me encanta, assim como aos arquitetos mais audaciosos que expressaram no território um combate de estilos, onde os fascinantes rigores da Arte Moderna de Le Corbusier e Mallet-Stevens se contrapõem aos infinitos arabescos do Art Nouveau de Hector Guimard, no representativo “Castel Béranger” da rue Jean de la Fontaine.

Auteuil não se revela facilmente, e é necessário sabedoria para assimilar o que se estabelece no espaço, por isso me atrai.  É um lugar onde me ponho no movimento diário dos seus moradores, nas praças, nas lojas, nas esquinas, nas feiras e nos cafés. Com dinheiro justo, numa das visitas a Auteuil comprei um sanduíche no supermercado Monoprix, uma garrafa de um tinto francês na loja Nicolas e fui almoçar feliz na Praça Jean Lorrain. Isso é sabedoria.

A Fonte Wallace, na Praça Jean Lorrain. Ao fundo, o Monoprix.

Por seu território abrigar um modo de vida de classe média e alta, em Auteuil muitas vezes você não tem acesso aos jardins escondidos e às vilas discretas, tais como a incrível Villa Montmorency (com foto no início do post), o requintado Hameau Boileau e as vilas de Reunion e Molitor. Elas são maravilhas para quem pode entrar e conhecer, o que não é o meu caso. Mas não me intimido: se o dinheiro é pouco, almoço na praça.

Mais de Auteuil, um bairro encantador.

Ainda se tiver tempo, conheça:

1 – O Bois de Boulogne, a poucos passos de distância, mas é tão grande que vem a ser maior que o bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro;

2 – O Hipódromo de Auteuil;

3 – O estádio de tênis Roland Garros;

4 – O estádio de futebol Parc des Princes. 

Desejo apresentar uma Paris pouco conhecida, então uma próxima postagem será sobre os microdistritos interessantes, como, por exemplo, “La Champagne a Paris”, que fica próximo à rue Pierre Mouillard, no 20º arrondissement.

La Champagne a Paris.

Embora pareça calmo, Auteuil não adormece. Que tal foi conhecer a riqueza dos estilos arquitetônicos daquele lindo bairro? Eu já fui sete vezes a Paris e voltaria uma oitava vez. Não vou mentir, Paris é cara, mas vale o preço que se paga. Vamos?

A foto do carrossel foi retirada do site: https://www.tripadvisor.com.br/Attraction_Review-g187147-d246160-Reviews-Auteuil-Paris_Ile_de_France.html

A Imagem de destaque foi retirada do site: https://www.tripadvisor.fr/Restaurant_Review-g187147-d718804-Reviews-Le_Beaujolais_d_Auteuil-Paris_Ile_de_France

Compartilhe com os seus amigos.
Share on Facebook
Facebook
Email this to someone
email
Share on LinkedIn
Linkedin
Print this page
Print

14 thoughts on “Paris e o peculiar bairro de Auteuil”

    1. Vanessa, fiz este post de Auteuil com apoio de um amigo que é cenógrafo e conhecedor de História da Arte, pois sou geógrafo e nem tudo sobre estilos arquitetônicos eu domino. Mas o bairro de Auteuil eu conheço e gosto muito. Acho dos mais charmosos de Paris. Obrigado pelo seu comentário.

    1. Nova amiga Cordélia. Gosto muito de Paris e Auteuil é representativo na cidade, por apresentar uma arquitetura com diversos estilos. Precisas conhecer, vai se apaixonar. Nesta página, na barra lateral direita tem uma ficha de Inscrição para ficar por dentro das novidades. Obrigado pelo comentário.

    1. Querida amiga Tânia, eu gosto muito de Paris e o bairro de Auteuil é muito representativo da cidade, pois apresenta diversos estilos de arquitetura. Se não conheces Auteuil precisas conhecer. Obrigado pelo comentário.

  1. Adorei essa dica.
    Me deliciei com as informações.
    Auteuil entrou para minha lista na próxima ida a Paris.
    Parabéns, Ronaldo!

    1. Querida amiga Luzia, eu gosto muito de Paris e o bairro de Auteuil é muito representativo da cidade, pois apresenta diversos estilos de arquitetura. Poucos conhecem este fascinante bairro. Precisas conhecer. Obrigado pelo comentário.

  2. Oi Ronaldo, a descrição está muito rica. Você, como geógrafo, sabe fazer isso muito bem. E não me esquecerei jamais da nossa viagem para Bogotá. Você é um excelente guia também.

    1. Querido amigo Bruno, eu gosto muito de Paris e o bairro de Auteuil é muito representativo da cidade, poucos o conhece e então quis apresentá-lo a todos. É rico em prédios que apresentam diversos estilos de arquitetura. Obrigado.

  3. Em julho de 1995 eu fui morar em Paris para estudar. O bairro que escolhi foi Montmartre. Encontrei com você no consulado da França no Rio mas não em Paris. Gostei muito da descrição do bairro de Auteuil. Parabéns.

    1. Querido amigo Eli, eu gosto muito de Paris e o bairro de Auteuil é muito representativo da cidade, pois apresenta diversos estilos de arquitetura. Não esqueci do seu texto da viagem pela África. Obrigado pelo comentário.

    1. Querido amigo Marcos, você sabe como eu gosto de Paris. Este bairro de Auteuil é muito representativo da cidade, pois apresenta diversos estilos de arquitetura. Obrigado pelo comentário.

Gostou? Deixe aqui o seu comentário.